Chame o seu Reitor / Pároco!


1. Diante da enfermidade, antes de ser internado em um hospital ou quando estiver doente a ponto de não ter podido ir ao culto no domingo.
A austera tradição de se aguentar sozinho o sofrimento e a doença não é uma tradição cristã: os sacramentos da Santa Comunhão, Confissão – Absolvição e Unção dos enfermos têm um papel a desempenhar na cura do corpo e da alma. Solicite-os com toda franqueza. Os Sacramentos são um direito de nascença de todo membro do Corpo de Cristo, a Igreja.

2. Quando o seu casamento atravessa um período de crise.
Quando vocês se casaram, foi para estarem juntos em todas as realidades da vida. Mas diante da crise, não precisam atravessar tal momento sozinhos. A experiência da Igreja em dois mil anos de ministério de reconciliação e melhoramento das relações humanas está ao dispor de todos os que colocam a vontade de Deus acima de sua própria vontade individual. A Pastoral da Família (encontro de casais com Cristo, cursilho, encontro matrimonial anglicano, etc.) estão à disposição de todos.

3. Quando uma criança nasce.
O nascimento é uma ocasião alegre e solene. A criança desde o momento em que nasce enfrenta responsabilidades e perigos tremendos e não pode enfrentá-los só. Através do Santo Batismo, a criança é feita membro do rebanho de Cristo e beneficiária das riquezas sobrenaturais da Graça.

4. Quando há um falecimento na família.
A morte é uma ocasião solene. Mesmo que a tristeza seja mais real do que a esperança na vida eterna, a Igreja possui conforto e auxilio para lhe oferecer quanto você esteja pronto para aceitar. Para o seu Pároco, a morte não é um terror e nem um negócio comercial, ele poderá ser a única pessoa desinteressada e amiga, inteiramente ao seu dispor em uma ocasião destas. Chame-o em primeiro lugar, antes mesmo de chamar o agente funerário. O ensino e o culto da Igreja têm incalculavelmente mais conforto e sentido do que quaisquer costumes funerais seculares.

5. Antes de deixar o lar para ingressar no exercito, colégio interno ou ir para outra cidade à passeio, trabalho ou mudança.
Você não precisa ir sozinho para “um lugar longínquo”; sozinho como o Filho Pródigo da Parábola do Evangelho. Sua Igreja estará lá também, o seu Pároco poderá muito lhe ajudar com informações, apresentações, conselhos e orações.

6. Quando estiver planejando seu casamento.
A Lei da Igreja requer que sejam dadas instruções pré-matrimoniais aos noivos pelo Ministro que vai celebrar o casamento, e este requisito se torna mais necessário nos nossos dias, quando as palavras “amor”, “sexo” e “casamento”, para a maioria das pessoas querem dizer tudo, menos aquilo que a Igreja ensina. Mesmo as pessoas bem instruídas ainda têm muito a aprender com os conselhos do Pároco. Procure-o, pois, com antecedência.

7. Quando desejar ser batizado, confirmado ou instruído na Fé Cristã.
Mesmo os membros mais antigos da Igreja podem ter dúvidas a respeito da Fé Cristã ou sobre a administração da Igreja. O Pároco está pronto a auxiliá-los. Qualquer assunto que esteja lhe preocupando, merece ser levado ao conhecimento de seu Pároco. Este está ansioso por contribuir para o seu bem estar e felicidade. Em vez de falar com outros, vá falar antes com ele. Muitos mal-entendidos seriam evitados nas paróquias, se os membros procurassem mais seu Reitor / Pároco.

Fraternalmente,

Rev. Leandro Antunes Campos
e-mail: leandro.campos@aol.com
Tel./WhatsApp: 13 991626721

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DOM SALOMÃO FERRAZ

Preparação para Crisma (Confirmação do Batismo)

Os dez mandamentos