A Sucessão Apostólica na Igreja Anglicana

✍🏻 Reverendo Leandro Antunes Campos
assistente social, teólogo anglicano, e ativista dos direitos humanos
SANTOS - Embora contestada pela Igreja Romana, e declarada Nula pelo papa Leão XIII, as ordens Anglicanas e por conseguinte a sucessão apostólica são consideradas esse (essência) do jeito de ser Anglicano.
Nós Anglicanos prezamos a Sucessão Apostólica traçando uma linha ininterrupta do atual Arcebispo de Canterbury justin Welby até Santo Agostinho (séc. 6), e deste até o Papa Gregório Magno e os Apóstolos.
Da separação 1535 até a declaração de nulidade por Leão XIII, nunca houve questionamento sobre a legitimidade dos ministérios e sacramentos. Em parte pelo uso do Rito de Sarum (Rito romano com certas influências celtas) - mas o conflito nasce particularmente com a publicação do Rito Eduardino que teria afetado substancialmente o Ordinal Anglicano.
Destaco o reconhecimento das Ordens Anglicanas pela Igreja Ortodoxa em 1932 - fruto de um longo diálogo ecumênico e um profundo estudo sistemático da teologia e da práxis das igrejas de tradição anglicana.
Tal declaração manifestamente significaria que enquanto a Igreja Anglicana professasse a Fé Ortodoxa tais ministérios seriam reconhecidos como válidos. Ou seja, uma Ortopráxis leva ao reconhecimento das Ordens Anglicanas pelo catolicismo ortodoxo.
De fato, outro elemento interessante para nossa análise é a mútua consagração de bispos. Ou seja, a participação de bispos vétero católicos e ortodoxos nas Ordenações de Bispos Anglicanos principalmente nos séculos 20 e 21. O que também traria legitimidade às ordenações anglicanas e os sacramentos.
A posição da Igreja Anglicana ao receber leigos e clérigos de Igrejas não apostólicas - é oferecer a confirmação e a ordenação ministradas pelo bispo. O que demonstra a preocupação deste ramo da Igreja católica de Cristo com a sucessão apostólica. Outro fato é que nas sagrações episcopais temos mantido a tradição da presença de pelo menos 3 bispos - o que simboliza a catolicidade da Igreja.
Em minha ordenação presbiteral além do povo e clero Anglicano, tivemos a presença de ministros ordenados da Igreja Romana e Luterana. O representante Ortodoxo não pode estar presente mas enviou seus votos de congratulações. Imagino que no futuro haverá uma tendência cada vez maior da presença Ecumênica nas ordenações ministeriais o que aproximará as igrejas apostólicas no anúncio e no testemunho de Jesus Cristo diante da sociedade e do mundo.
* Nota: Seis Igrejas fizeram declarações que parecem reconhecer as ordenações Anglicanas como sendo válidas: Constantinopla (1922), Jerusalém e Sinai (1923), Chipre (1923) Alexandria (1930), Romênia (1936).

e-mail: leandro.campos@aol.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DOM SALOMÃO FERRAZ

Preparação para Crisma (Confirmação do Batismo)

Os dez mandamentos