sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Testemunho & Reflexão: BBB Anglicano


+ Rev. Leandro 


Não é de hoje que tenho consciência do que é ser pároco de uma Igreja centenária como é a Igreja Anglicana de Santos. Imediatamente meus pensamentos, palavras e ações passam a ser monitorados 24h por dia, 7 dias por semana.
Isso não é mera ilustração, não.
Lembro da minha primeira Celebração da Santa Comunhão em Santos - ainda como Diácono, quando atravessava o jardim da Igreja em direção a casa pastoral ouvi o telefone tocando e para minha surpresa era o bispo diocesano que já havia recebido queixas de mim.
Igreja, Capela, Paróquia, Pró-Catedral, Catedral, Santuário...
Não importa o nome dado a nossa Igreja, o simples fato de possuir uma rica história e tradição dentro do Anglicanismo brasileiro e mundial já é motivo suficiente para as querelas eclesiásticas.
Tira e põe... põe e tira.
Inúmeras vezes fui repreendido pelos meus escritos nas redes sociais pela incapacidade de meus superiores de separar o teólogo do pároco. A missão de profeta e a de pastor. A de denunciar as injustiças e a de acalentar o rebanho.
As minhas críticas à instituição e algumas posturas dos colegas tem sido imediatamente "printadas" e remetidas para "inquisição Anglicana" que sem qualquer rito de defesa só me permitia ouvir a sentença e calar-me obsequiosamente.
Na minha vida eclesiástica busquei trazer algo da minha experiência profissional buscando separar o parecer técnico do pessoal, não cabendo peso em minhas decisões gostar ou não gostar de A, B ou C. Mas se A, B, ou C cumpriam os requisitos mínimos para manter uma estrutura pastoral condizente com os novos desafios do presente século.
Quantas vezes fui pressionado a rever meus pareceres objetivos por força da pressão da política eclesiástica e dos devaneios das eminências pardas. O que me faz orar pelo perdão divino e para que a Igreja não sofra as consequências de minha fraqueza diante da Instituição.
O que muita gente não sabe é que por 2 vezes nestes últimos 18 anos quase deixei a Igreja Anglicana. A primeira vez no final da formação de seminarista, minha renúncia não foi aceita pela bispo que ao invés solicitou-me a carta pedindo a ordenação ministerial.
E, a segunda recentemente, quando me opus ao leva e trás de assuntos internos paroquiais, anunciaram no grupo do clero diocesano que eu era persona non grata, i.e., a ser evitado.
Ambas as situações foram revertidas, nem tanto pelo que o clero me considera importante para o grupo, mas sem dúvida pelo que a Igreja Anglicana de Santos representa para qualquer grupo que se auto nomeie Anglicano.
O fato é que a qualquer momento, em qualquer dia da semana, e qualquer hora, há alguém disposto para divulgar os pensamentos, palavras e ações do Reverendo Leandro. Com que objetivo? Talvez por considerar que a Igreja seja apenas mais um BBB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário