segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Mensagem do Monsenhor Leandro



Santos, 24 de dezembro de 2018.
Queridos irmãos e irmãs,
Natal e fim de ano vêm muitas vezes acompanhados de confraternizações, presentes e alegria. As famílias se reúnem, os colegas de trabalho fazem amigo secreto, as igrejas e instituições realizam ações solidárias.
Também é verdade que muitas pessoas se sentem sozinhas, sem projeto de vida, às vezes ainda elaborando um luto recente de um parente ou amigo. É sabido que o telefone dos Samaritanos (CVV- Centro de Valorização da Vida) tem um grande acréscimo de chamadas neste período.
Reconhecer uma realidade e não se sensibilizar com a outra talvez demonstre que não temos um conhecimento profundo da realidade que nos cerca. A sociedade e o mercado impõe um modelo de Natal e Reveillon que pressupõe presentes, festas regadas de champagne, e ceias fartas.
Talvez para 14 milhões de desempregados no Brasil o Natal e o Reveillon não possam ser "celebrados" segundo este modelo. Talvez 3 milhões de refugiados ainda estejam buscando uma terra para se fixar até que a guerra e os conflitos que os fizeram deixar sua pátria tenha fim. E, para tantos outros abaixo da linha da pobreza o Natal e o Revillon passam a ser uma imagem muito distante.
Jesus não é contra Festas ou Confraternizações, na verdade o texto bíblico diz que os inimigos o acusam de "comelão" e "beberrão" pela fama de festeiro que o acompanhava. Mas também é verdade que diante da realidade da pobreza e da fome Jesus diz aos que se denominam discípulos: "Dai-lhes vós mesmos de comer!" e ainda: "vista o nú, visite o enfermo e o preso" haja com os outros como você gostaria que agissem com você!
O Natal é um tempo poderoso para aprofundarmos o sentido da Natividade de Deus que se faz menino, do Todo Poderoso que se faz Humanidade e portanto limitado às nossas imperfeições. A Natividade nos fala de um mundo extremamente desigual e injusto que recebe na carne um "Espírito" de justiça e de paz, um Espírito de Luz a iluminar um mundo inteiro de escuridão.
O Natal é uma chamada a todos os batizados e batizadas que olhem para dentro de si e enxerguem a chama do amor, da esperança, da paz e alegria que vem de Deus e que são as sementes para germinar um Reino de Justiça, um Reino de Deus que se faça presente no meio de nós aqui e agora, e daqui para a eternidade!
Deixe a Luz de Deus que há em você Brilhar no mundo que nos cerca. Que haja uma conversão de nossos costumes para uma nova realidade mais humana e divina, tal qual Jesus de Nazaré. Que o mundo conheça os cristãos pelos frutos de caridade que semeamos em nossos lares, na Igreja, e na sociedade.
Deus vos abençoe!

+ Monsenhor Leandro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.

.

.