Pular para o conteúdo principal

.

.

NOTÍCIAS DA CATEDRAL ANGLICANA DE SÃO PAULO

Dai a César o que é de César, mas o que é mesmo de César?


por Edmilson Schinelo

(Mateus 22,15-22)
Um plano bem armado: fazer Jesus cair na armadilha de suas próprias palavras! A cilada é introduzida por um elogio que é, ao mesmo tempo, reconhecimento de integridade:
Mestre, sabemos que és verdadeiro, que ensinas o caminho de Deus… que não consideras as pessoas pela aparência…” (v. 16). Depois do elogio, a pergunta: “É lícito ou não pagar o imposto a César?
Em caso de resposta afirmativa, toda a pregação de Jesus cairia por terra diante do povo. A ocupação romana era o que havia de mais explorador, a transferência de impostos para Roma era elemento provocador de miséria e fome. Além disso, do ponto de vista religioso, pagar o imposto significava aceitar o culto ao imperador. Na própria moeda romana, podia-se ler: Tibério César, Filho Divino do Venerável Augusto. Por isso, os fariseus e a maioria do povo se opunham ao pagamento.
Por outro lado, se Jesus responde que não se deve pagar o tributo, é apanhado em atitude aberta de afronta ao império. Os próprios herodianos, favoráveis ao pagamento do tributo e a serviço dos romanos, ali estavam para o flagrante.
A resposta de Jesus desmascara qualquer religião fetichista e legitimadora do sistema, seja a divulgada pela propaganda imperialista, seja a alimentada por autoridades judaicas (no texto, representadas por fariseus). É possível que Jesus tenha tocado no coração do sistema religioso romano: o lucro proveniente da cobrança do tributo imposta às províncias conquistadas por Roma. Ao questionar o caráter divino do imperador, todo culto a ele prestado (leia-se: submissão, oferenda e pagamento do tributo) está deslegitimado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Boletim Paroquial - 05 de junho de 2017

EDITORIAL - O Teólogo Christopher L. Webber escreveu que embora "a forma romana do Cristianismo houvesse se tornado uma influência dominante na Bretanha e em toda Europa ocidental, o Cristianismo Anglicano continuou a ter uma qualidade distintiva por causa da sua herança Celta". Nós da Igreja Anglicana de Santos herdamos traços da Igreja Celta pré-Niceno, uma Comunidade Sacramental. Praticamos a simplicidade da fé a qual permeia nossas vidas diárias, e reverenciamos a criação de Deus. Enfatizamos os Sacramentos como um lugar onde Deus e a humanidade se encontram. Cada um de nós é comissionado por Deus e uns pelos outros para que possamos crescer em fraternidade, adoração, oração, estudo das Escrituras, e outras práticas da Igreja dos primeiros tempos. Nós professamos uma fé Cristã  que transcende as divisões políticas e culturais. Nós damos as boas vindas para todas as pessoas. Todos são bem-vindos à Mesa do Senhor e a todos os seus sacramentos. Fruto de nossa tradição celta…

Boletim Paroquial - 12 de junho de 2017

EDITORIAL - 4º ANIVERSÁRIO DE FILIAÇÃO DO REV. LEANDRO À COMUNIDADE DA ARCA:  Em 12 de junho de 2013, o Bispo-fundador da The Ark Community, Bispo Tony Palmer (1966-2014) me recebeu oficialmente na qualidade de "Companheiro da Comunidade". A Comunidade da Arca foi fundada em 2002. Sua Missão (mandato) é: Juntos caminhar para a Eternidade! Os membros da comunidade se definem como, um comunidade cristã que acredita no exemplo de Jesus do "Bom Samaritano" como expressão da verdadeira FÉ. Os membros da comunidade se dedicam a estabelecer e desenvolver uma comunidade cristã que "REALMENTE" alcança os mais necessitados. Nossa comunidade não fica presa dentro dos muros da Igreja para manter Jesus e a sua vida abundante apenas para nós. Pois queremos que sua vida seja partilhada nas ruas e em todos os lugares. Nossos membros fazem parte de uma comunidade de Cristãos Convergentes inter-denominacionais, com raízes na espiritualidade da "Igreja Primitiva" …

o que esperar de uma igreja anglicana?

Pense nesta página como seu “Guia de Primeira Viagem a uma Igreja Anglicana”. Muito importante, lembre-se disso: você será bem-vindo(a). Nós damos a você as especiais boas vindas para que venha participar de nossos cultos e oferecemos este documento como uma breve introdução à Igreja Anglicana e seu jeito de ser. católica ou evangélica? No Anglicanismo, há aquelas igrejas que são chamadas de anglo-católicas, por se darem mais ênfase aos sacramentos e ao modo de pensar do cristianismo medieval inglês. Outras, chamadas evangélicas, dão mais valor aos princípios da reforma inglesa, no século XVI, como a pregação da palavra. A maioria das igrejas anglicanas fica no meio termo entre essas duas correntes. Este guia visa a mostrar o que pode-se encontrar em uma igreja anglicana genérica, independente da corrente litúrgica ou teológica que venha a seguir. o lugar de adoração Ao entrar, você vai perceber uma atmosfera de adoração e reverência. As Igrejas anglicanas são construídas em vários est…