Pular para o conteúdo principal

Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja


“Cristo entrega as chaves a Pedro” (1515) em tapeçaria para a Capela Sistina, projetada por Rafael Sanzio (1483-1520) e tecida em Bruxelas por Pieter van Aelst (1502-1556)
Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja”. Também: “Dar-te-ei as chaves”. Igualmente: “Apascenta as minhas ovelhas”. [...] Em todas essas passagens, Pedro é o representante de todo o grupo dos apóstolos, conforme se evidencia do próprio texto. Pois Cristo não interroga somente a Pedro, mas diz: “Vós, quem dizeis que eu sou?” E o que aqui é dito no número singular – “Dar-te-ei as chaves”, “o que ligares” -, em outro lugar é dito no plural: “O que ligardes, etc.” E em João: “Aqueles a quem perdoardes os pecados, etc.” Atestam essas palavras que as chaves são dadas igualmente a todos os apóstolos, e que todos os apóstolos são enviados igualmente. Além disso, é necessário reconhecer que as chaves não pertencem à pessoa de determinado homem, porém à igreja, conforme atestam muitos argumentos claríssimos e firmíssimos. Pois Cristo, falando das chaves, Mateus 18, acrescenta: “Onde quer que dois ou três concordem na terra, etc.” De sorte que atribui as chaves principal e imediatamente à igreja, assim como também por essa razão a igreja principalmente tem o direito de chamar. É necessário, por isso, que nessas passagens Pedro seja o representante de todo o grupo dos apóstolos. Razão por que não atribuem a Pedro qualquer prerrogativa, ou superioridade, ou domínio.
Mas quanto à declaração: “Sobre esta pedra edificarei a minha igreja”, por certo que a igreja não foi edificada sobre a autoridade do homem, porém sobre o ministério daquela profissão que Pedro fez, na qual proclama que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus. De sorte que se endereça a ele como ministro: “Sobre esta pedra”, isto é, sobre este ministério. Ora, o ministério do Novo Testamento não está preso a lugares e pessoas como o ministério levítico, porém está disperso pelo mundo inteiro e está onde Deus dá os seus dons, apóstolos, profetas, pastores, doutores. E esse ministério não vela por causa da autoridade de qualquer pessoa, mas por causa da palavra dada por Cristo. E a maioria dos santos Pais, como Orígenes, Ambrósio, Cipriano, Hilário, Beda, interpretam a sentença “sobre esta pedra” desse modo, não como referente à pessoa ou à superioridade de Pedro. Assim diz Crisóstomo: “‘Sobre esta pedra’, diz ele, não ‘sobre Pedro’. Pois edificou sua igreja não sobre o homem, mas sobre a fé de Pedro. Mas qual foi a fé? Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Hilário: “A Pedro revelou o Pai que dissesse: Tu és o Filho do Deus vivo. A edificação da igreja é, portanto, sobre a pedra dessa confissão. Essa fé é o fundamento da igreja”.

-- As Confissões Luteranas (Tractatus de Potestate et Primatu Papae, 1537)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

o que esperar de uma igreja anglicana?

Pense nesta página como seu “Guia de Primeira Viagem a uma Igreja Anglicana”. Muito importante, lembre-se disso: você será bem-vindo(a). Nós damos a você as especiais boas vindas para que venha participar de nossos cultos e oferecemos este documento como uma breve introdução à Igreja Anglicana e seu jeito de ser. católica ou evangélica? No Anglicanismo, há aquelas igrejas que são chamadas de anglo-católicas, por se darem mais ênfase aos sacramentos e ao modo de pensar do cristianismo medieval inglês. Outras, chamadas evangélicas, dão mais valor aos princípios da reforma inglesa, no século XVI, como a pregação da palavra. A maioria das igrejas anglicanas fica no meio termo entre essas duas correntes. Este guia visa a mostrar o que pode-se encontrar em uma igreja anglicana genérica, independente da corrente litúrgica ou teológica que venha a seguir. o lugar de adoração Ao entrar, você vai perceber uma atmosfera de adoração e reverência. As Igrejas anglicanas são construídas em vários est…

Mensagem de Natal do Arcebispo Justin Welby

22 de dezembro de 2016 Saudações em Nome de Jesus, a Palavra feita carne, o Emanuel, que veio para habitar entre nós, pela acção de Deus e pela obediência da sua Bem-aventurada Mãe, a portadora de Deus. Em Novembro, visitei o Paquistão para expressar a minha solidariedade com as comunidades Cristãs espalhadas por esse país, que tanto têm sofrido nos últimos anos. Recordamos o massacre de inocentes que cultuavam a Deus no Domingo de Páscoa em 2016 na cidade de Lahore, e antes disso, os ataques em Peshawar no Natal de 2013 e muitos outros incidentes. Esses ataques estavam pensados não apenas para infligir um forte sofrimento, mas também para semear o medo no coração dos Cristãos e de outras comunidades minoritárias. Durante a minha visita falei com alguns dos sobreviventes desses ataques, e senti-me muito comovido e humilde diante da sua extraordinária coragem ao continuarem a ser fieis em testemunhar a sua fé em Jesus. Diziam que agora sabiam mais do que nunca que Jesus é o Bom Pastor…

Casamento do Pelé e Márcia

Sábado 9 de julho é especial para o Rei Pelé. O “Rei do Futebol” vai se casar com a empresária Marcia Cibele Aoki, em celebração ministrada pelo Reverendo Leandro Campos, da Igreja Anglicana de Santos, que será reservada e restrita aos familiares. Aos 75 anos, Pelé sobe no altar pela terceira vez e disse que finalmente encontrou o seu “amor definitivo”. O casal está junto desde 2010. Pelé e Marcia se conheceram na década de 1980, durante uma festa em Nova York, nos Estados Unidos. Eles começaram a namorar somente em 2010, após reencontro inusitado dentro de um elevador do prédio onde moravam na Alameda Jaú, em São Paulo. Em 2012, Pelé apresentou Marcia como sua “namorada oficial” no Golden Foot, que aconteceu em Mônaco. Desde então, ele a leva a todas festas e eventos para os quais é convidado, assim como em seus compromissos pelo mundo.