Pular para o conteúdo principal

Mensagem de Natal do Arcebispo Justin Welby



22 de dezembro de 2016
Saudações em Nome de Jesus, a Palavra feita carne, o Emanuel, que veio para habitar entre nós, pela acção de Deus e pela obediência da sua Bem-aventurada Mãe, a portadora de Deus.
Em Novembro, visitei o Paquistão para expressar a minha solidariedade com as comunidades Cristãs espalhadas por esse país, que tanto têm sofrido nos últimos anos. Recordamos o massacre de inocentes que cultuavam a Deus no Domingo de Páscoa em 2016 na cidade de Lahore, e antes disso, os ataques em Peshawar no Natal de 2013 e muitos outros incidentes. Esses ataques estavam pensados não apenas para infligir um forte sofrimento, mas também para semear o medo no coração dos Cristãos e de outras comunidades minoritárias. Durante a minha visita falei com alguns dos sobreviventes desses ataques, e senti-me muito comovido e humilde diante da sua extraordinária coragem ao continuarem a ser fieis em testemunhar a sua fé em Jesus. Diziam que agora sabiam mais do que nunca que Jesus é o Bom Pastor.
Em muitos lugares do nosso mundo perturbado e incerto, as comunidades Cristãs minoritárias juntamente com outras minorias de forma semelhante se têm tornado num alvo. Isto é motivado pelo desejo de erradicar completamente a presença dos Cristãos naturais desses lugares. Estes são actos não apenas de terror, mas de genocídio; são actos criminosos que devem motivar a comunidade internacional a trazer à justiça os seus responsáveis. No entanto sendo tão vulneráveis e com frequência esquecidos e marginalizados, os nossos irmãos e irmãs, estão a ser corajosos no Senhor. Realmente “Deus escolheu o que é fraco no mundo para envergonhar os fortes” (I Coríntios 1:27).
Noutros lugares o conflito e a corrupção tornaram-se tão normais que o mundo esqueceu o sofrimento dos pobres.
Peço as vossas orações por aqueles de nós que vivem em segurança, para que não nos tornemos em espectadores distantes, que batem com a mão no peito quando nos retiramos para a segurança das nossas casas, mas que nos possamos aproximar da cruz de Jesus, permanecendo ao lado dos nossos irmãos e irmãs que sofrem e para estarmos prontos a fazer a nossa parte com acções práticas de mudança. Oro para que Cristo fortaleça todo o seu povo no seu mais intimo com o poder de Espírito Santo para ser fiel, para ter coragem e para viver na esperança.
Mais do que nunca necessitamos de comunidades parecidas com Cristo, que proclamam as Boas-Novas do Evangelho na Palavra e na Acção. Em muitos países não há perseguições, nas há apatia e complacência que nos leva a ser, segundo as palavras notáveis do Papa Francisco, ateus praticantes.
Uma comunidade parecida com Cristo, mede-se pela forma como atrai para o centro da sua vida os vulneráveis e os marginalizados. Na reunião dos Primazes da Comunhão Anglicana em Janeiro deste ano, Jean Vanier, o fundador da obra L´Arche, ajudou-os a compreenderem o que isto significa. Noutro lugar ele afirmou: “Viver com Jesus é viver com os pobres, e viver com os pobres e viver com Jesus” (Community and Growth,1989).
Mais do que nunca, temos um forte sentido da unidade dos Cristãos. Deus ouve a oração do Senhor Jesus Cristo: “Que eles possam ser um, para que o mundo creia que Tu me enviaste” (João 17:21), e Ele continua a cumprir a sua oração. Enquanto hoje estamos profundamente conscientes do ecumenismo do sangue, também vivemos no ecumenismo da esperança, e somos chamados a um ecumenismo da acção. Viver com os vulneráveis e os marginalizados, com Jesus Cristo no centro das nossas comunidades e no coração das nossas relações ecuménicas, para agir juntos com amor e em amor, amor que é um fruto do Espirito Santo, é também viver como semeadores da esperança. Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo. Quem me seguir deixa de andar na escuridão e terá a luz da vida” (João 8:12). S. João Evangelista, com palavras que serão escutadas em muitas das nossas Igrejas durante este Natal que ser aproxima, também nos fortalece com esta mensagem: “ A luz brilha nas trevas, trevas que a não venceram.” (João 1:5).
Na nossa celebração comum da luz de Jesus que veio ao mundo, que possamos já hoje encorajar e construirmo-nos uns aos outros, e que em todos os lugares a Igreja possa, unida com o sofrimento e na esperança, brilhar com a sua luz e agir com o seu poder.
Justin Welby, Arcebispo de Cantuária

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DOM SALOMÃO FERRAZ

Um dos mais icônicos religiosos da história do Brasil, também passou pela Paróquia de Todos os Santos - Igreja Anglicana, como atestam os registros de serviços paroquiais no ano de 1932. Sua Excelência Reverendíssima Dom Salomão Barbosa Ferraz, nasceu em 18 de Fevereiro de 1880, em Jau - Brasil, tendo sido pastor presbiteriano e anglicano. Mais tarde fundou a Igreja Católica Livre do Brasil, hoje denominada de Igreja Católica Apostólica Independente. Dom Salomão recebeu a Sagrada Ordenação Presbiteral em 18 de Julho de 1945. Mais tarde, em 15 de Agosto de 1945, recebeu das mãos de Sua Excelência Reverendíssima Dom Carlos Duarte, a Sagrada Ordenação Episcopal.
Durante o Concílio Vaticano II, e ainda no Pontificado de João XXIII, Dom Salomão Ferraz pede incardinação na Igreja Católica Romana, sendo aceito sem nenhum tipo de re-consagração como Bispo Titular de Eleutherna, em 10 de Maio de 1963, fazendo parte nos trabalhos Conciliares. Veio a falecer em 11 de Maio de 1969, como Bispo Catól…

O ANGLICANISMO MORREU

Mensagem do Rev. Leandro Antunes Campos, 23 de julho de 2017 Texto Bíblico: Mateus 13:13:24-30, 36-43
A primeira década do século 21, o primeiro século do terceiro milênio foi marcado pela SECULARIZAÇÃO.
Em termos de comportamento, o mundo ocidental e nele o Brasil tem visto a drástica diminuição da população que se declara religiosa.
Eu, por minha conta e risco, ouso dizer que dentre o número que se declara ANGLICANO muitos: não frequentam regularmente a Santa Eucaristia dominical;não praticam a Oração Diária;não leem a Bíblia;não buscam os sacramentos da Igreja;Nem tão pouco convidam o reverendo para tomar uma simples café em suas residências. Os 207 anos da Presença Anglicana no Brasil são marcados pela busca da construção de uma Identidade onde destaco três características:
Sermos uma Igreja Cristã, i.e., capazes de responder a questão: Somos a Igreja que Jesus sonhou que seríamos ao fundar a Igreja?Conhecer e crer nos Ensinamentos de Jesus e os Apóstolos, i.e., conhecer os Evangelh…

Preparação para Crisma (Confirmação do Batismo)

O Espírito Santo é força que impulsiona a vida da Igreja.

O Sacramento da Crisma é um encontro especial com Jesus, todo cristão precisa de um dom especial do Espírito para que a semente da vida nova, plantada no Batismo, não morra, mas, pelo contrário, se desenvolva, cresça e dê muito fruto, fruto em abundância.


Na certeza do Espírito Santo que age em nós, queremos unir família e igreja na formação cristã dos nossos fiéis e colaboradores.
Compromisso
• A preparação para o Sacramento da Crisma exige dos crismandos a abertura necessária para viver cada encontro com o desejo de conhecer Jesus Cristo, sua palavra e a doutrina da nossa fé. • Participação nos eventos religiosos da Igreja (Missa da Páscoa, Missa de Pentecostes, Missa de Natal, Aniversário da Igreja, Ação de Graças e outros) • Participação dos crismandos na Missa aos domingos
Sentimo-nos honrados em preparar todos os interessados para este sacramento. Entretanto, aqueles que escolherem participar da Crisma, devem assumir os pon…