Pular para o conteúdo principal

Boletim Paroquial - 21 de novembro de 2016



EDITORIAL - No último domingo celebramos a Festa de Cristo Rei do Universo encerrando assim o Ano Cristão Litúrgico C. Isso significa que completamos mais um ciclo de leituras A (Mateus), B (Marcos), e C (Lucas) sendo q´ o Evangelho de João é lido especialmente nas quadras do advento e quaresma, e outras datas especiais.

Por isso, o Ano Cristão Litúrgico q´ se inicia com o primeiro domingo do advento marca para nós um novo ciclo de leituras sobre a vida e os ensinamentos de Jesus. Como discípulos de Jesus está no centro de nossa espiritualidade a leitura constante das Sagradas Escrituras e em especial dos Evangelhos.

Recomendamos a todos os irmãos e irmãs a se unirem conosco para vivenciarmos plenamente a vida, morte, e ressurreição de Jesus meditando e refletindo a partir das leituras dominicais em nossas celebrações. Tenho a certeza q´ todos serão imensamente abençoados!

A nobreza secreta





Ricardo Barbosa de Sousa


Só se reconhece o valor de algumas pessoas muitos anos depois de sua morte. Uma razão para isso é que essas pessoas valorizavam mais os outros do que a si mesmas. Viveram na obscuridade. As luzes dos holofotes incidiam sobre os outros, nunca sobre elas. Escolheram o difícil caminho da renúncia e da negação e encontraram sua alegria na liberdade de servir.

Uma dessas pessoas foi Francisco de Assis (1182–1226). G. K. Chesterton, admirador de Francisco, escreveu uma biografia completa sobre sua vida e obra. Num artigo sobre o ascetismo na vida de Francisco de Assis, reconhece que o segredo do seu sucesso foi possuir uma mente de uma “simplicidade quase enlouquecedora” e prossegue afirmando que “é costume dizer que o segredo de tais homens é sua profunda crença em si mesmos, e isso é verdade, mas não toda a verdade. Reformatórios e asilos de lunáticos estão apinhados de homens que acreditam em si mesmos. A respeito de Francisco é mais correto dizer que o segredo de seu sucesso era sua profunda crença em outras pessoas, e é a falta dessa crença que frequentemente foi a ruína desses obscuros Napoleões”. O primeiro passo em direção a uma existência livre e feliz é a humildade. É assim que Jesus inicia suas bem-aventuranças: “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus”.

A humildade não é outra coisa senão o dom de reconhecer o outro e valorizá-lo. Como disse C. S. Lewis, a verdadeira humildade não é “pensar menos de nós mesmos, mas pensar menos em nós mesmos”. Foi o que o apóstolo Paulo recomendou aos cristãos de Filipos: “Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros” (Fp 2.3-4). Certamente, não é fácil pensar menos em mim e mais nos outros; como também não é fácil desenvolver uma profunda crença em outras pessoas.

Deus pensou em nós e acreditou em nós. Ele nos amou de tal maneira que nos deu seu Filho. Jesus entrou em nosso mundo e participou de nossa humanidade. Ele se humilhou e tornou-se servo. Mesmo sendo pecadores e indignos de receber qualquer favor de Deus, ainda assim, ele veio a nós, entregou-se por nós, esvaziou-se por nós, fez-se pobre por nós, para que pela sua pobreza nos tornássemos ricos. Assumiu a nossa culpa, morreu na cruz e ressuscitou para nos reconciliar com ele e nos fazer seus amigos. Ele fez isso porque pensou em nós e acreditou em nós.

Existe uma nobreza secreta na bem-aventurança dos humildes. Os humildes sabem ouvir primeiro para depois falar. Sabem confiar, esperar e descansar em Deus. Reconhecem que há sempre algo novo para aprender. Possuem uma certa ingenuidade e pureza porque amam aquilo que outros desprezam. São tolos para o mundo, mas sábios para Deus. Preferem lutar pelo bem dos outros do que pelo seu próprio bem.

Em um mundo onde todos clamam pelos seus direitos e poucos pelas suas responsabilidades; onde muitos lutam pelo sucesso e poucos se preocupam com a sobrevivência dos outros ou mesmo do planeta; onde muros ideológicos, raciais, sociais e econômicos se levantam, aumentando as distâncias e aprofundando as suspeitas e desconfianças, proponho que se ouça mais uma vez o convite de Jesus para aprendermos com sua humildade e mansidão. Isso significa pensar menos em nós e mais nos outros, tomar a cruz da renúncia e abnegação, e nos entregarmos ao serviço sacrificial, seguindo o exemplo de Jesus.

• Ricardo Barbosa de Sousa é pastor da Igreja Presbiteriana do Planalto e coordenador do Centro Cristão de Estudos, em Brasília. É autor de, entre outros, A Espiritualidade, o Evangelho e a Igreja.

NOTÍCIAS

ENCONTRO DE CORAIS NA IGREJA ANGLICANA - De 20 de novembro a 11 de dezembro, aos domingos às 17h,  haverá apresentação de corais e preparação para o Natal do Senhor. Também contaremos com a apresentação do Coral do Uruguay no próximo dia 25 de novembro, sexta-feira às 20h30.

GRUPO DE ORAÇÃO ANGLICANO - Uma forma simples e prática para viver os ensinamentos de Jesus Cristo para os dias de Hoje. Todas as quartas-feiras às 19h45 (exceto a segunda quarta-feira do mês).  

S.O.S. HAITI - Você pode fazer a sua doação para Banco do Brasil Agência: 3475-4 Conta-Corrente: 59.000-2  Mais informações acesse o site da Caritas Brasileira, www.caritas.org.br ou ligue (61) 3214-5400.

ALMOÇO DE AÇÃO DE GRAÇAS - Após a Missa de 27 de novembro das 10h30 os membros, familiares e amigos tem a tradição de compartilharem um almoço comunitário no salão e jardins da igreja. Anualmente separamos o Domingo de Ação de Graças para elevar a Deus nosso agradecimento mais sincero e profundo pelas bênçãos recebidas.  


Reverendo Leandro Campos 
25º Pároco
All Saints´ Church

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

o que esperar de uma igreja anglicana?

Pense nesta página como seu “Guia de Primeira Viagem a uma Igreja Anglicana”. Muito importante, lembre-se disso: você será bem-vindo(a). Nós damos a você as especiais boas vindas para que venha participar de nossos cultos e oferecemos este documento como uma breve introdução à Igreja Anglicana e seu jeito de ser. católica ou evangélica? No Anglicanismo, há aquelas igrejas que são chamadas de anglo-católicas, por se darem mais ênfase aos sacramentos e ao modo de pensar do cristianismo medieval inglês. Outras, chamadas evangélicas, dão mais valor aos princípios da reforma inglesa, no século XVI, como a pregação da palavra. A maioria das igrejas anglicanas fica no meio termo entre essas duas correntes. Este guia visa a mostrar o que pode-se encontrar em uma igreja anglicana genérica, independente da corrente litúrgica ou teológica que venha a seguir. o lugar de adoração Ao entrar, você vai perceber uma atmosfera de adoração e reverência. As Igrejas anglicanas são construídas em vários est…

Mensagem de Natal do Arcebispo Justin Welby

22 de dezembro de 2016 Saudações em Nome de Jesus, a Palavra feita carne, o Emanuel, que veio para habitar entre nós, pela acção de Deus e pela obediência da sua Bem-aventurada Mãe, a portadora de Deus. Em Novembro, visitei o Paquistão para expressar a minha solidariedade com as comunidades Cristãs espalhadas por esse país, que tanto têm sofrido nos últimos anos. Recordamos o massacre de inocentes que cultuavam a Deus no Domingo de Páscoa em 2016 na cidade de Lahore, e antes disso, os ataques em Peshawar no Natal de 2013 e muitos outros incidentes. Esses ataques estavam pensados não apenas para infligir um forte sofrimento, mas também para semear o medo no coração dos Cristãos e de outras comunidades minoritárias. Durante a minha visita falei com alguns dos sobreviventes desses ataques, e senti-me muito comovido e humilde diante da sua extraordinária coragem ao continuarem a ser fieis em testemunhar a sua fé em Jesus. Diziam que agora sabiam mais do que nunca que Jesus é o Bom Pastor…

Casamento do Pelé e Márcia

Sábado 9 de julho é especial para o Rei Pelé. O “Rei do Futebol” vai se casar com a empresária Marcia Cibele Aoki, em celebração ministrada pelo Reverendo Leandro Campos, da Igreja Anglicana de Santos, que será reservada e restrita aos familiares. Aos 75 anos, Pelé sobe no altar pela terceira vez e disse que finalmente encontrou o seu “amor definitivo”. O casal está junto desde 2010. Pelé e Marcia se conheceram na década de 1980, durante uma festa em Nova York, nos Estados Unidos. Eles começaram a namorar somente em 2010, após reencontro inusitado dentro de um elevador do prédio onde moravam na Alameda Jaú, em São Paulo. Em 2012, Pelé apresentou Marcia como sua “namorada oficial” no Golden Foot, que aconteceu em Mônaco. Desde então, ele a leva a todas festas e eventos para os quais é convidado, assim como em seus compromissos pelo mundo.