Pular para o conteúdo principal

.

.

Boletim Paroquial - 05 de novembro de 2016

SOLENIDADE DE TODOS OS SANTOS - 1º DE NOVEMBRO


EDITORIAL - A ‘Solenidade de Todos os Santos’ vem do século IV. Em Antioquia, celebrava-se uma festa por todos os mártires no primeiro domingo depois de Pentecostes. A celebração foi introduzida em Roma, na mesma data, no século VI, e cem anos após era fixada no dia 13 de maio pelo papa Bonifácio IV, em concomitância com o dia da dedicação do “Panteon” dos deuses romanos a Nossa Senhora e a todos os mártires. No ano de 835, esta celebração foi transferida pelo papa Gregório IV para 1º de novembro.

Nesse dia, a Igreja militante (que luta na Terra) honra a Igreja triunfante do Céu “celebrando, numa única solenidade, todos os Santos” – como diz o sacerdote na oração da Missa – para render homenagem àquela multidão de Santos que povoam o Reino dos Céus, que São João viu no Apocalipse: “Ouvi, então, o número dos assinalados: cento e quarenta e quatro mil assinalados, de toda tribo dos filhos de Israel. Depois disso, vi uma grande multidão que ninguém podia contar, de toda nação, tribo, povo e língua: conservavam-se em pé diante do trono e diante do Cordeiro, de vestes brancas e palmas na mão”. “Esses são os sobreviventes da grande tribulação; lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro.” (Ap 7,4-14)

COLETA DO DIA DE TODOS OS SANTOS 

"Ó Deus Onipotente, que no corpo místico de teu Filho, nosso senhor, vinculaste todos os teus escolhidos em uma só comunhão e irmandade; concede-nos graça para de tal modo imitarmos, em vida e virtude, teus Bem - aventurados Santos, que cheguemos a desfrutar das alegrias inexprimíveis reservadas àqueles que te amam sinceramente; mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e com o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amém! "
LOC/ IEAB pág. 145


DEFENDENDO-SE DA ANSIEDADE


O maior inimigo [do acadêmico em tempos de guerra] é a ansiedade — aquela tendência de pensar na guerra e senti-la quando, na verdade, o que pretendíamos fazer mesmo era pensar em nosso trabalho. A melhor defesa é reconhecer que, assim como tudo o mais, a guerra na verdade não criou nenhum inimigo novo, apenas agravou o antigo. Sempre existem inúmeros adversários em relação ao trabalho. Vivemos nos apaixonando ou brigando, procurando um emprego ou com medo de perdê-lo, ficando doentes e nos recuperando, acompanhando escândalos públicos. Se nos deixarmos levar, estaremos sempre esperando o término de alguma distração ou outra para, então, nos concentrarmos em nosso trabalho. As únicas pessoas que alcançam êxito são as que querem tanto o conhecimento que insistem em buscá-lo mesmo em condições pouco favoráveis. As condições nunca serão favoráveis. É claro que há momentos em que a pressão da ansiedade é tão grande que só o autocontrole de um super-homem seria capaz de resisti-la. Esses momentos acabam chegando tanto na guerra quanto na paz. Precisamos fazer o melhor que pudermos.
>> Retirado de Um Ano com C. S. Lewis, Editora Ultimato.

NOTÍCIAS

GRUPO DE ORAÇÃO ANGLICANO - Uma forma simples e prática para viver os ensinamentos de Jesus Cristo para os dias de Hoje. Todas as quartas-feiras às 19h45 (exceto a segunda quarta-feira do mês).  

S.O.S. HAITI - Você pode fazer a sua doação para Banco do Brasil Agência: 3475-4 Conta-Corrente: 59.000-2  Mais informações acesse o site da Caritas Brasileira, www.caritas.org.br ou ligue (61) 3214-5400.

REMEMBRANCE SUNDAY - Dia 13 de novembro às 9h em inglês, lembraremos de todos que deram suas vidas pela Paz Mundial e levantarmos fundos para projetos sociais da Fundação Britânica de Assistência.  

ALMOÇO DE AÇÃO DE GRAÇAS - Após a Missa de 27 de novembro das 10h30 os membros, familiares e amigos tem a tradição de compartilharem um almoço comunitário no salão e jardins da igreja. Anualmente separamos o Domingo de Ação de Graças para elevar a Deus nosso agradecimento mais sincero e profundo pelas bênçãos recebidas.  


Reverendo Leandro Campos 
25º Pároco
All Saints´ Church

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

o que esperar de uma igreja anglicana?

Pense nesta página como seu “Guia de Primeira Viagem a uma Igreja Anglicana”. Muito importante, lembre-se disso: você será bem-vindo(a). Nós damos a você as especiais boas vindas para que venha participar de nossos cultos e oferecemos este documento como uma breve introdução à Igreja Anglicana e seu jeito de ser. católica ou evangélica? No Anglicanismo, há aquelas igrejas que são chamadas de anglo-católicas, por se darem mais ênfase aos sacramentos e ao modo de pensar do cristianismo medieval inglês. Outras, chamadas evangélicas, dão mais valor aos princípios da reforma inglesa, no século XVI, como a pregação da palavra. A maioria das igrejas anglicanas fica no meio termo entre essas duas correntes. Este guia visa a mostrar o que pode-se encontrar em uma igreja anglicana genérica, independente da corrente litúrgica ou teológica que venha a seguir. o lugar de adoração Ao entrar, você vai perceber uma atmosfera de adoração e reverência. As Igrejas anglicanas são construídas em vários est…

Boletim Paroquial - 05 de junho de 2017

EDITORIAL - O Teólogo Christopher L. Webber escreveu que embora "a forma romana do Cristianismo houvesse se tornado uma influência dominante na Bretanha e em toda Europa ocidental, o Cristianismo Anglicano continuou a ter uma qualidade distintiva por causa da sua herança Celta". Nós da Igreja Anglicana de Santos herdamos traços da Igreja Celta pré-Niceno, uma Comunidade Sacramental. Praticamos a simplicidade da fé a qual permeia nossas vidas diárias, e reverenciamos a criação de Deus. Enfatizamos os Sacramentos como um lugar onde Deus e a humanidade se encontram. Cada um de nós é comissionado por Deus e uns pelos outros para que possamos crescer em fraternidade, adoração, oração, estudo das Escrituras, e outras práticas da Igreja dos primeiros tempos. Nós professamos uma fé Cristã  que transcende as divisões políticas e culturais. Nós damos as boas vindas para todas as pessoas. Todos são bem-vindos à Mesa do Senhor e a todos os seus sacramentos. Fruto de nossa tradição celta…

Mensagem de Natal do Arcebispo Justin Welby

22 de dezembro de 2016 Saudações em Nome de Jesus, a Palavra feita carne, o Emanuel, que veio para habitar entre nós, pela acção de Deus e pela obediência da sua Bem-aventurada Mãe, a portadora de Deus. Em Novembro, visitei o Paquistão para expressar a minha solidariedade com as comunidades Cristãs espalhadas por esse país, que tanto têm sofrido nos últimos anos. Recordamos o massacre de inocentes que cultuavam a Deus no Domingo de Páscoa em 2016 na cidade de Lahore, e antes disso, os ataques em Peshawar no Natal de 2013 e muitos outros incidentes. Esses ataques estavam pensados não apenas para infligir um forte sofrimento, mas também para semear o medo no coração dos Cristãos e de outras comunidades minoritárias. Durante a minha visita falei com alguns dos sobreviventes desses ataques, e senti-me muito comovido e humilde diante da sua extraordinária coragem ao continuarem a ser fieis em testemunhar a sua fé em Jesus. Diziam que agora sabiam mais do que nunca que Jesus é o Bom Pastor…