Pular para o conteúdo principal

Caminho de Emaús




Ao relembrar a passagem bíblica do caminho de Emaús, fico emocionado por saber que o mesmo acontecimento se faz presente nos dias atuais. Recordem-se de que dois discípulos de Jesus, quando caminhavam para Emaús, sentiram-se desanimados. Propensos a desistir, Jesus ressurreto pôs-se a caminhar junto deles, e por Ele foram encorajados.

De uma maneira similar, este episódio acontece sempre que estamos reunidos em nossos ofícios e cultos dominicais porque, assim como os dois discípulos, somos encorajados e guiados por Jesus.

Por isso, a narrativa da Ressurreição é um dos fundamentos principais da nossa Igreja. E pelo fato de estarmos reunidos na igreja visível, Jesus se faz conosco, pois ela é sinal de Sua real presença entre nós. Assim sendo, nós somos templos vivos do Cristo ressurreto. Irmãos e irmãs há, para mim, três fases nessa narrativa. Observem:

A primeira é que sem avisar, Jesus aproxima-se dos discípulos, que estão desapontados e tristes, e caminham juntos. Este fato acontece conosco também. Muitas vezes Jesus caminha conosco e nós não percebemos sua presença. A segunda acontece quando Jesus pergunta: “O que foi? Aconteceu alguma coisa triste?” Ao narrarmos nossa tristeza, Ele nos anuncia o Evangelho: “você não conhece o amor divino e está preso no próprio mundo. Mas, quando você desprender-se do seu mundo, estará libertado para uma nova vida e viverá no mundo de Deus, onde receberá a verdadeira salvação.”

Jesus ainda nos ensina isso dizendo: “minha morte teve o objetivo de trazer para as pessoas o amor divino.” Ao ouvirmos estas palavras, ficamos animados e insistimos para que ele fique conosco por mais tempo.

A terceira se constitui no partir do pão e de sua entrega. Marcando a cena da última ceia, esta fase nos faz anunciar a sua morte e proclamar a sua ressurreição. Isto significa que Jesus e nós nos tornamos um só corpo. Ele vivifica a (e em) nossa vida, quando nós partimos o pão na fé e juntos comemos. É sempre assim em nossa Santa Eucaristia – nós partimos e comemos do pão e bebemos do vinho. Este é o mesmo acontecimento de Emaús.

Portanto, é na Eucaristia que podemos nos encontrar intimamente com Jesus e adquirirmos forças espirituais para a nossa realidade. E lembrem-se: no caminho de Emaús Jesus ensinou àqueles dois discípulos que Ele sempre estará presente quando solicitado, porque Jesus, o Cristo, é o pão da vida e o cálice da salvação.

Agradeçamos a Deus porque podemos, hoje, comungar o corpo e o sangue de seu filho, Jesus, e acreditamos que Ele estará sempre conosco.

Dom Hiroshi Ito
Bispo Diocesano

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DOM SALOMÃO FERRAZ

por Reverendo Leandro Antunes Campos assistente social, teólogo anglicano, e ativista dos direitos humanos
SANTOS - Um dos mais icônicos religiosos da história do Brasil, também passou pela Paróquia de Todos os Santos - Igreja Anglicana, como atestam os registros de serviços paroquiais no ano de 1932. Sua Excelência Reverendíssima Dom Salomão Barbosa Ferraz, nasceu em 18 de Fevereiro de 1880, em Jau - Brasil, tendo sido pastor presbiteriano e anglicano. Mais tarde fundou a Igreja Católica Livre do Brasil, hoje denominada de Igreja Católica Apostólica Independente. Dom Salomão recebeu a Sagrada Ordenação Presbiteral em 18 de Julho de 1945. Mais tarde, em 15 de Agosto de 1945, recebeu das mãos de Sua Excelência Reverendíssima Dom Carlos Duarte, a Sagrada Ordenação Episcopal.
Durante o Concílio Vaticano II, e ainda no Pontificado de João XXIII, Dom Salomão Ferraz pede incardinação na Igreja Católica Romana, sendo aceito sem nenhum tipo de re-consagração como Bispo Titular de Eleutherna, em …

Preparação para Crisma (Confirmação do Batismo)

por Reverendo Leandro Antunes Campos assistente social, teólogo anglicano, e ativista dos direitos humanos
SANTOS - O Espírito Santo é força que impulsiona a vida da Igreja.
O Sacramento da Crisma é um encontro especial com Jesus, todo cristão precisa de um dom especial do Espírito para que a semente da vida nova, plantada no Batismo, não morra, mas, pelo contrário, se desenvolva, cresça e dê muito fruto, fruto em abundância.
Na certeza do Espírito Santo que age em nós, queremos unir família e igreja na formação cristã dos nossos fiéis e colaboradores.
Compromisso
• A preparação para o Sacramento da Crisma exige dos crismandos a abertura necessária para viver cada encontro com o desejo de conhecer Jesus Cristo, sua palavra e a doutrina da nossa fé. • Participação nos eventos religiosos da Igreja (Missa da Páscoa, Missa de Pentecostes, Missa de Natal, Aniversário da Igreja, Ação de Graças e outros) • Participação dos crismandos na Missa aos domingos
Sentimo-nos honrados em preparar todos…

Os dez mandamentos

Traduzido e copilado por Reverendo Leandro Antunes Campos
assistente social, teólogo anglicano, e ativista dos direitos humanos
última atualização: 11/07/2020
SANTOS - Os Dez Mandamentos (em hebraico: עֲשֶׂרֶת הַדִּבְּרוֹת, Aseret ha'Dibrot), segundo as Sagradas Escrituras Êxodo 20:1-17, Deuteronômio 5:5-21,  possuem catorze declarações arranjadas pedagogicamente pelo Catecismo da Igreja Anglicana (LOC/TEC p.847,848), na Ordem penitencial - O Decálogo, do LOC/IEAB 2015, p. 290,291. que está presente no Rito I da Santa Eucaristia.
Para Hatchett, No Livro de 1552 o decálogo substitui o Kyrie (9 repetições) do LOC de 1549. Os revisores queriam incluir na Liturgia Dominical pelo menos três coisas que qualquer criança deveria saber antes da confirmação: a Oração do Senhor, O Credo, e os Dez Mandamentos.
Dos tempos Elizabetanos foi requerido que os três textos estivessem dispostos preliminarmente diante do povo em cada igreja, um costume que caiu em desuso apenas em décadas recentes. A …