SLIDE1

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Boletim Informativo - Igreja Anglicana de Santos

Igreja Anglicana

Região Eclesiástica Baixada Santista

MOVIMENTO ANGLICANO NO BRASIL
www.catedral-anglicana.org.br
Sexta-feira, 29 de abril de 2016 

Tel.: +55 (13) 99678.5108 vivo
(13) 3302-1065 | (13) 3237-4327
e-mail: contato@igrejaanglicana.net  

_________________________________________________________________________________________
VISITE NOSSOS LINKS NA INTERNET:

website: www.igrejaanglicana.net
https://www.facebook.com/rev.lcampos
https://twitter.com/revleandro
_________________________________________________________________________________________

IGREJA ANGLICANA NA TV:

Programa Mar de Esperança com Reverendo Leandro - TV Com Net 11 digital e 18 analógico

Diariamente às 7h com reprise às 18h15
http://www.tvcomsantos.com/Portal/

_________________________________________________________________________________________

Mensagem Pastoral

Irmãos e irmãs no Senhor, 

Ainda que não haja leis universalmente aceitas ou um conjunto formal de regras, todos os cristãos reconhecem que doar àqueles que se encontram em necessidade é parte essencial da vida e da prática cristãs. A palavra caridade tem raiz no latim caritas, usado na tradução da palavra grega ágape, a qual descreve o amor de Deus pela humanidade, revelado em Cristo. Os cristãos procuram, por meio de ofertas e obras de caridade, agradecer por terem recebido esse amor, transmitindo-o a outras pessoas.

Muitas igrejas mantêm a prática da entrega do dízimo, incentivando todos os membros a dar 10% de sua renda, para ser usada em benefício dos pobres. Em todas as gerações, sempre houve cristãos que quiseram ir além para imitar o exemplo de Cristo, abrindo mão de tudo em nome dele. A pobreza voluntária dos monges e das freiras sempre foi um sinal relevante, diante do mundo, da importância de se priorizar Deus sobre os bens materiais. No âmago dessas práticas está a noção de mordomia, a ideia de que todas as coisas, incluindo as que ingenuamente chamamos nossa propriedade, pertencem, na verdade, a Deus; não somos os donos, mas os administradores de sua boa criação.

Rev. Malcom Guite, capelão
Girton College - Inglaterra

_________________________________________________________________________________________

  • ATIVIDADES REGULARES

Serviços Religiosos:

          Quarta-feira às 19h45 - Reunião de Oração

          Domingo às 10h30 - Culto da Manhã

Escola Bíblica: 

          Sábado - das 10h às 11h  (de 6 a 12 anos)

Curso de Inglês:

             Terça e quinta-feira: das 8h às 9h e das 9h às 10h

_________________________________________________________________________________________
  • CENTRO SOCIAL ANGLICANO:

Programas e Projetos

- Curso de inglês (básico, avançado e conversação):
terças e quintas-feiras de manhã;
atendimento: 40 pessoas

- Campanha da Ação do Coração:
oficinas de coração, Ato Inter-religioso, arrecadação de roupas, brinquedos e alimentos;
Atendimento: 100 pessoas

- Campanha Solidária de Natal:
roupas, calçados e brinquedos; e almoço comunitário;
Atendimento: 100 pessoas

- Campanha Solidária de Páscoa: 
chocolate (ovos e caixas de bombons); e almoço comunitário;
Atendimento: 100 pessoas

- Campanha em Prol das Tulipas - Voluntárias do Hospital Guilherme Álvaro:
material de higiene pessoal, fraldas e biscoitos e chá;
atendimento: 40 pessoas

- Centro de Direitos Humanos da Baixada Santista Irmã Maria Dolores 
CRAVI Centro de Referência e Atendimento à Vítima de Violência;
atendimento: 20 pessoas

- Programa Mar de Esperança, TVcom Santos Canal 11 Net,
diariamente às 7h e reprise às 18h15
atendimento: s/n 

_________________________________________________________________________________________
  • ACONSELHAMENTO PASTORAL:

Agende um horário para aconselhamento com o Reverendo Leandro, 
por telefone: 13 33021065 ou email: contato@igrejaanglicana.net




PENSAMENTOS:

O Mais importante é ter os olhos fixos em Deus,
porque Ele está presente na ´noite escura´.
Mons. Jonas Abib - Comunidade Canção Nova

A vondade de Deus é que O sirvamos sem limites.
Independente das características que temos há oportunidade 
para todos servirmos a Deus.
Major Paulo C. S. Rodrigues - Exército da Salvação

Não existe líder perfeito. Um líder que não lidera a si mesmo
não tem direito de querer liderar os outros.
Nancy Dusilek - UIECB




Reverendo Leandro Campos +

Assistente Social - CRESS 30.265 9.R

terça-feira, 19 de abril de 2016

NOTA DE REPÚDIO À APOLOGIA DA TORTURA


“Ai dos que chamam de bem o mal e de mal, o bem. Fazem da escuridão a luz e da luz, escuridão. Fazem passar por amargo o que é doce e por doce, o amargo”. Isaías 5,20.
A atual situação social que o Brasil tem vivido nos faz clamar por tolerância e discernimento. Os acontecimentos políticos contemporâneos produzem efeitos nas relações sociais que podem trazer malefícios e desentendimentos. Temos acompanhado a radicalização e a polarização de opiniões na mídia, nas relações sociais, de trabalho, familiares e nas redes sociais, muitas vezes acompanhados de ofensas e hostilidades mútuas.
No último domingo o país acompanhou a votação da abertura do processo de impedimento da presidenta Dilma Roussef com grande interesse. Nesse processo, no qual cada parlamentar era chamado nominalmente para votar de maneira aberta e a justificar seu voto, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) dedicou seu voto à memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, chefe do DOI-CODI de São Paulo, órgão de repressão política que foi palco de torturas e assassinatos durante a ditadura civil-militar instaurada a partir de 1964.
Não se pode calar diante do insulto que se constituiu à história, às instituições da República e aos valores democráticos e republicanos do povo brasileiro o discurso do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), antes de pronunciar o seu voto em plenário.
Portanto, a Assessoria de Direitos Humanos da Igreja Metodista na Terceira Região Eclesiástica manifesta seu repúdio ao discurso do referido deputado, enfatizando que:
1. A convivência de posicionamentos divergentes e a pluralidade social expressa neles e por eles é natural ao regime democrático. No entanto, este princípio não pode ser usado como justificativa por alguém que defenda o uso da violência contra seus contrários, na tentativa torpe de disfarçar seu próprio autoritarismo e recusa ao diferente;
2. O elogio público a um reconhecido torturador do período em que o país viveu sob Ditadura Militar é abominável. Em nenhum Estado Democrático de Direito este ato é admissível, pela sua própria natureza corrosiva dos direitos básicos de toda e qualquer pessoa.
3. A lembrança do sofrimento pessoal, físico e psicológico, causado pelo torturador à Dilma Rousseff, segundo o próprio deputado, é afronta gravíssima aos direitos humanos no Brasil. A ofensa excede e muito os limites do exercício da função pública de Presidenta, pelo qual Dilma Rousseff estava sendo julgada na sessão, e atinge essencialmente sua biografia pessoal como jovem cidadã brasileira, então com vinte e três anos de idade que, como inúmeros outros jovens de sua geração, insistiram na defesa de seus ideais políticos num regime contra o qual faziam oposição. Por todas estas razões, tal evocação configura-se não apenas como defesa da tortura, mas já é uma tortura em si.
Por fim, reafirmamos nossa constante vigilância para que o discurso odioso, desagregador e desrespeitoso do deputado Jair Bolsonaro não encontre guarida em nossa sociedade, especialmente entre o povo evangélico, haja vista que raríssimas foram as vezes em que nos deparamos na História com forças tão evidentemente contrárias ao Evangelho. Todavia, recebemos o precioso legado de que em todas estas vezes, tais forças foram superadas pela fé, esperança e amor.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

VISITA EPISCOPAL - ABRIL 2016

VISITA EPISCOPAL DE ABRIL



Venha participar da Santa Eucaristia, Domingo, dia 10 de abril, que será presidida pelo nosso bispo diocesano Dom Roger Bird - às 9h em inglês e às 10h30 em português

Será um tempo da graça e da ação de Deus para unidade da Igreja e para o fortalecimento da nossa presença missionária em Santos!

quinta-feira, 17 de março de 2016

Semana Santa 2016



CARTA PASTORAL DE PÁSCOA

Cidade de Santos,  19-03-2016

Quando o Senhor nos fez voltar do cativeiro, estávamos como sonhando.
Era toda risonha a nossa boca e jubiloso cântico a nossa língua.
Salmo 126.1-2


 Caros irmãos e irmãs,

A Igreja Anglicana celebra de 20 a 27 de março de 2016, a SEMANA SANTA, um tempo intenso na vida cristã para nos identificarmos com a Paixão, Morte e Ressurreição de N.S.J.C., e no qual renovamos nossos votos batismais: Guardarás, então, obedientemente a santa vontade de Deus, e os seus mandamentos, e andarás neles todos os dias de sua vida.

Cada um de nós ao sermos batizados recebemos a plenitude da graça divina, para que perseveremos entre o número dos filhos e filhas de Deus e membros da Igreja, pelo mesmo Jesus Cristo, a quem com o Pai, na unidade do Espírito Santo, damos toda a honra e glória, agora e eternamente. Amém.

Segundo o Catecismo Anglicano (1950) nenhum de nós é capaz de cumprir tais promessas por si mesmo, nem andar nos mandamentos de Deus e servi-lo, sem uma graça especial; a qual devemos aprender a pedir incessantemente em fervorosas orações!

Que nesta Semana Santa de 2016 possamos nos examinar a nós mesmos para ver se estamos verdadeiramente arrependidos de nossos pecados passados, e firmes a receber uma nova vida (pascal); se possuímos realmente uma fé viva na misericórdia de Deus mediante Cristo, com a grata recordação de sua paixão, morte e ressurreição; e se estamos em CARIDADE com todos os seres humanos.

Rogo, pois, e concito a todos vós que, com puro coração e reta intenção participemos piedosamente do PROGRAMA da Igreja Anglicana para Semana Santa e dele tiremos os frutos espirituais que tanto nossas almas necessitam:

DOMINGO DA PAIXÃO, 20 de março às 10h30 – Páscoa Solidária, Santa Eucaristia e Batismo
Quarta-feira Santa, 23 de março às 19h45 – Santa Ceia do Senhor
Sexta-feira Santa, 25 de março às 12h – Sete Palavras do Senhor na Cruz
DOMINGO DE PÁSCOA, 27 de março às 10h30 – Santa Eucaristia e Batismo

“ELE RESSURGIU, REALMENTE O SENHOR RESSURGIU”. S. Marcos 16.6; S. Lucas 24.34


Reverendo Padre Leandro

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Mensagem da Quarta-feira de Cinzas



Escrito por D. Laurence
Hoje, muitos de nós receberemos as cinzas – os restos incinerados dos ramos do ano passado – que serão [colocadas em nossas cabeças ou] aplicadas em nossa testa, da mesma forma que muitas pessoas dos tempos bíblicos “cobriam suas cabeças com cinzas” em tempos de luto ou de crise.
Para as crianças pode ser uma experiência do sagrado interessante, a descoberta de um simbolismo novo e o enriquecimento do vocabulário de sua vida espiritual. Para os cristãos mais adultos, trata-se de um ritual familiar que leva de volta para casa, um pouco mais consciente a cada ano, a memória da mortalidade: “Lembra-te de que és pó e para o pó hás de voltar” (Gn 3,19). Para a maioria das pessoas em nosso tempo secularizado, trata-se somente de somente mais um resíduo incompreensível de um mundo religioso arcaico.
De um modo ou de outro, gostamos de marcar períodos e tempos especiais – são, claro, feitos pelo homem. A Quaresma somente começou a ser observada no Século IV. Ainda que nosso ano não seja mais do que uma plataforma composta de dias de semana, fins de semana, viagens de negócio e férias, a sua bidimensionalidade logo nos torna desejosos por “algo mais” que corresponde ao nosso complexo senso religioso. Muitos de nós podemos nos virar sem religião, mas não podemos escapar dessa nostalgia. Uma vez sentida, busca por expressão.
Então apreciemos as cinzas. Lembro-me quando criança costumávamos nos sentir orgulhosos e especiais ao conservar nossas cinzas de maneira clara e ostensiva na rua ou no metrô. Procurávamos a nossa volta por outros com a mesma marca, sentindo-nos como membros de um clube secreto ou ao menos exclusivo. Ouvimos as palavras de Jesus durante a celebração sobre o jejum (tomar alimento somente uma vez ao dia também faz parte das recomendações para a Quarta-feira de Cinzas): “quando jejuardes, ungi a cabeça e lava o rosto para que o teu jejum não seja percebido pelos outros, mas somente por teu Pai que está no segredo” (Mt 6,16). Como crianças, porém, aprender a religião pela prática, podemos nos sentir bem ao expor nosso ascetismo. Sentíamo-nos diferentes e talvez um pouco melhores.
A Quaresma é uma oportunidade cujo significado temos que reconhecer antes de ser provada como útil para nós. Obviamente não significa chamar atenção para nós mesmos. Não significa auto infligir-se de dor ou sofrimento tanto quanto a formação e treino de um atleta pode machucar. A Quaresma é sobre melhorar a forma e a agilidade da nossa vida espiritual, cuja meta é alcançada por medidas de moderação cuidadosa, autodomínio e, com um pouco de criatividade, por esforçar-se mais e mais rumo à esfera da consciência.
Caso ainda não tenha decidido o que “fazer” durante a Quaresma, talvez possa considerar uma prática com triplo desdobramento: 1) Abster-se ou reduzir alguma forma de consumo, seja comida, bebida ou vício digital; 2) Melhorar ou incrementar sua prática de meditação durante a manhã ou à noite ou acrescentar uma outra no meio do dia; 3) Comprometer-se a um melhor ritmo de vida e substituir uma distração desnecessária (muitos de nós conservamos muitas) por uma atividade mais criativa estimulante, seja física, uma leitura ou música.
O “mistério” que Jesus recomenda desafia nossa cultura de auto revelação (exposta pelo nosso culto à privacidade e às senhas). Não se refere à segredo, de fato, mas à interioridade e respeitando o fato de que a maioria dos frutos de nossa Quaresma serão sentidos de dentro. Que seja bom e que seja interessante.

Conncet With Us