.

.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Boletim - 13/09/2016


A CRISE NA FAMÍLIA HOJE


Acredito que todos têm lido e ouvido ultimamente declarações pessoais e embates a nível nacional que envolvem questões que ferem os princípios cristãos. Isso me dá subsídios para afirmar que estou convicta de que vivemos uma crise cultural com respeito ao casamento e à família e que, para mim, este fato tem suas raízes em uma crise espiritual.

Nós, cristãos, sabemos muito bem quem é o maior interessado em destruir a família. Estamos envolvidos num conflito espiritual cósmico entre Deus e Satanás, no qual o casamento e a família são áreas de suma importância dentro das quais são travadas batalhas espirituais e culturais. Só há uma solução para resolvermos isso que é: resgatar e reconstruir os fundamentos bíblicos dessas instituições.

A estrutura que, até pouco tempo atrás, considerava que uma família “normal” era constituída de: “pai, mãe e filhos” não mais me parece sólida. Hoje essa estrutura é considerada “uma” das formas de se constituir a família.

Quando Deus é excluído da posição de iniciador e idealizador da instituição do casamento e da família, abre-se uma porta para inúmeras interpretações humanas desses termos e conceitos, os quais se revelam distantes do propósito da criação e são, portanto, danosos e equivocados. O mecanismo para justificar certas posturas e posições não é o da moralidade, do compromisso com a Palavra de Deus, mas o da opinião pública, do pensamento da maioria, das convicções ou interesses pessoais.

Infelizmente a Igreja também se rebaixou ao padrão do mundo em vários sentidos, tornou-se parte do problema, deixando de oferecer as soluções que o mundo precisa. É muito triste constatar que líderes cristãos deste país defendem pontos de vista que vão de encontro ao ensino das Escrituras. Prosseguir nesse caminho de declínio e corrupção moral afetiva afetará, inevitavelmente, a estabilidade de nossa civilização.

Há inúmeros recursos disponíveis que abordam o assunto: livros, seminários, revistas, vídeos, entre outros. Mas o fato é que, no final, entre o que o mundo apregoa e a Igreja proclama existe uma diferença assustadoramente pequena. Falta-nos o compromisso sério de estudar a Bíblia como um todo. Para seguirmos em toda a plenitude o plano de Deus para os relacionamentos humanos precisamos perceber como os ensinamentos bíblicos acerca desses relacionamentos são interligados e têm como fonte comum o Criador e seus propósitos que são sábios e benéficos para toda a humanidade.

Que esta Catedral nunca se furte ao ensino da sã doutrina, pois a inexperiência teológica e hermenêutica gera diagnósticos superficiais e bloqueia a compreensão correta do pecado e seus efeitos. E que para tanto nos ajude o Senhor.

Márcia Garcia

__________________________________________________________



NOTÍCIAS


DIA DO SACRIFÍCIO - Dia 12 de setembro às 7h30 o Movimento Inter-Religioso pela Cidadania participará da Festividade do Dia do Sacrifício na Mesquita Islâmica de Santos. A data q´ antecede a peregrina à Meca, marca a disposição de Ibrahim (Abraão) de sacrificar Ismael (Isaac no relato hebraico) a Deus.

SEMANA BÍBLICA DA DIOCESE DE SANTOS - Acontecerá dos dias 13 a 15 de setembro no Liceu Santista sempre às 20h uma série de Estudos Bíblicos com o Tema: A Misericórdia do Deus de Israel. A entrada é gratuita e aberto ao público interessado.

CASAMENTO COMUNITÁRIO - Dia 14 de setembro às 18h no Clube de Regatas Vasco da Gama acontecerá a 5ª edição do Casamento Comunitário. É a segunda vez q´ o Reverendo Leandro é convidado para ser o celebrante oficial do evento, no ano passado receberam a bênção ecumênica 52 casais.

RETIRO DAS CEBs - O CEFAS - Centro de Formação e Apostolado de Santos, receberá no próximo fim de semana 16 a 18 de setembro mais uma edição do Retiro das Comunidades Eclesiais de Base.

JANTAR ANGLICANO - Reserve já o seu convite para o Jantar Anglicano 2016. Será um momento de grande confraternização, saboreando pratos deliciosos, curtindo a pista de dança, e com muita alegria. Data 4 de novembro, Buffet Zig Zag Bum. 

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Tempo para a Criação - 1º de setembro a 4 de outubro


TEMPO PARA A CRIAÇÃO 2016
Rezar e cuidar da criação
Pessoas cristãs de todo o mundo oram e cuidam da criação, juntas

Em 1989, a Igreja Ortodoxa proclamou o 1º de setembro como o Dia Mundial de Oração pela Criação, e, desde então, muitas outras igrejas cristãs se juntaram e o dia foi expandido para ser uma temporada, até 4 de outubro, na data da Festa de São Francisco de Assis.
O “Tempo para a Criação” tornou-se um evento ecumênico desenvolvido pelo Conselho Mundial de Igrejas, com o objetivo unir as igrejas num chamamento para observar e viver uma temporada de oração, reflexão sobre o cuidado e o uso justo dos dons da natureza que recebemos de Deus.
Mais recentemente, em 2015, após ter lançado a Carta Encíclica Laudato Si - Sobre o cuidado da casa comum, o Papa Francisco instituiu o 1º de setembro como o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação. Cada vez mais a iniciativa do Dia ou da Temporada da Criação ganha força para conclamar as pessoas cristãs de todo o mundo a orar e cuidar da criação, juntas. Assim testemunhamos nossa fé no cuidado da criação e, da forma mais original e sincera, podemos louvar e bendizer o nome de Deus criador e defensor da vida.
O arcebispo de Cantuária, Justin Welby pediu aos anglicanos para se juntar aos cristãos em todo o mundo e tomar parte nesta campanha:
"O resultado da mudança climática não é potencialmente ruim, é potencialmente fatal, para os países e regiões do mundomais frágeis, e para os bilhões de pessoas que vivem nelas."
E o que pode ser feito durante o Tempo para a Criação?
Orar para que o Espírito Santo nos oriente nas palavras e ações em defesa da vida;
Montar equipe de planejamento de diaconia e cuidado da vida;
Procurar membros e lideranças de outras denominações cristãs em nossas cidades para propor um culto ecumênico, seguido de outras ações em conjunto. Provocar o diálogo;
Propor, marcar eventos que chamem atenção para a campanha Tempo para a Criação. Existem meios de divulgação e tudo o que for realizado, por menor que seja, é importante divulgar para contagiar mais pessoas a se somar e acreditar que é preciso orar e cuidar da criação juntos.Podem ser realizados eventos fora da data de 1º de setembro.Cada evento pode ser registrado no site . Todo e qualquer evento que for organizado, visando a campanha, é importante que sejam convidadas pessoas para falar, orar e facilitar o debate, certificando-se de ter uma diversidade de denominações representadas, se possível.Seria importante que todo evento da campanha culminasse com uma chamada para ações concretas de continuidade. Lembre-se que é preciso avaliar e celebrar as realizadas.
AGIR PELA CRIAÇÃO: Além de orar, há uma necessidade urgente de medidas para combater a crise ecológica.
Fonte: Cristãos oram e cuidam da criação, juntos. (http://seasonofcreation.org)


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

o que esperar de uma igreja anglicana?


Pense nesta página como seu “Guia de Primeira Viagem a uma Igreja Anglicana”. Muito importante, lembre-se disso: você será bem-vindo(a). Nós damos a você as especiais boas vindas para que venha participar de nossos cultos e oferecemos este documento como uma breve introdução à Igreja Anglicana e seu jeito de ser.

católica ou evangélica?

No Anglicanismo, há aquelas igrejas que são chamadas de anglo-católicas, por se darem mais ênfase aos sacramentos e ao modo de pensar do cristianismo medieval inglês. Outras, chamadas evangélicas, dão mais valor aos princípios da reforma inglesa, no século XVI, como a pregação da palavra. A maioria das igrejas anglicanas fica no meio termo entre essas duas correntes. Este guia visa a mostrar o que pode-se encontrar em uma igreja anglicana genérica, independente da corrente litúrgica ou teológica que venha a seguir.

o lugar de adoração

Ao entrar, você vai perceber uma atmosfera de adoração e reverência. As Igrejas anglicanas são construídas em vários estilos arquitetônicos; mas mesmo que a igreja seja grande ou pequena, elaborada ou simples, seu olho será levado ao altar e à cruz. Assim, nossos pensamentos são levados a Cristo: ao Deus cuja casa a igreja é.
Sobre, ou perto do altar, há velas para lembrar-nos que Cristo é a “Luz do mundo” (São João 3:16). Geralmente, há flores, para embelezar a casa de Deus e lembrar-nos da ressurreição de Jesus. De um lado, na frente da igreja, pode haver um púlpito para a proclamação da Palavra; dali, as Escrituras são lidas e o sermão é pregado. Em muitas igrejas, entretanto, o atril é separado do púlpito e fica do lado oposto da igreja.

o ato de adoração

Os cultos anglicanos são participativos. Nos bancos, você provavelmente encontrará o Livro de Oração Comum, embora alguns países usem livros suplementares. Isto permite que a congregação participe ativamente em cada serviço. No Livro de Oração Comum, as letras maiores são proferidas no culto. As letras menores dão orientações aos celebrantes e às pessoas sobre como conduzir o serviço.
Você deve se perguntar sobre quando levantar e se ajoelhar. Tais práticas variam – até mesmo entre indivíduos. A regra geral é levantar-se ao cantar – hinos (encontrados no hinário nos bancos) e outras músicas (muitas delas das Santas Escrituras) chamadas cânticos ou cantos, e impressas como parte do ofício. Nós também nos levantamos para dar nosso testemunho de fé, no Credo Niceno ou Apostólico; e para a leitura do Evangelho na Santa Eucaristia. Salmos são cantados ou ditos de pé ou sentados. Durante as leituras do Velho Testamento, ou das Epístolas do Novo Testamento, ou durante o sermão e hinos do coral, nos sentamos. Durante a oração podemos ficar de pé ou ajoelhados. Levantamo-nos em oração para mostrar nossa gratidão a Deus por nos aceitar como Seus filhos e filhas, ou ajoelhamo-nos como um ato de humildade na presença de Deus.

os serviços regulares

O principal culto é a Santa Eucaristia (Santa Comunhão ou Santa Missa). Em algumas igrejas anglicanas, é celebrada de forma muito simples, sem música, domingo cedo pela manhã. Celebrações da eucaristia durante a semana também são geralmente sem música, e sem sermão. Quando celebrada numa hora mais avançada nos domingos pela manhã, ou em outros dias de vulto como o Natal, música e um sermão são padrão.
Outro serviço é a Oração Matutina. Seu equivalente vespertino é a Oração Vespertina. Esses ofícios consistem de salmos, leituras bíblicas e orações; e podem incluir um sermão. Podem ser com ou sem música.
Enquanto algumas partes dos serviços são sempre iguais, outras mudam. Na Santa Eucaristia, por exemplo, dois ou três trechos da Bíblia são lidos. Eles mudam a cada Domingo, assim como os salmos. Algumas das orações também mudam, de modo a permitir variedade. Os números das páginas do livro para as leituras são normalmente anunciados ou dados no panfleto do culto. Mas não fique com vergonha de pedir ao(à) irmão(ã) do lado pelo número da página.
Você achará os serviços anglicanos bonitos em sua dignidade ordeira, centrada em Deus, e ainda assim lembrando da natureza e necessidades dos seres humanos.

antes e depois

O costume ao entrar em uma igreja é ajoelhar-se em um banco para uma oração de preparação pessoal para o louvor. Em muitas igrejas, também é costume curvar-se ao altar na entrada e na saída, como ato de reverência a Cristo.
A maioria dos anglicanos não conversa na igreja antes de um culto, usando tal tempo para meditação pessoal e devoções. No final de cada ofício, algumas pessoas se ajoelham para uma oração pessoal antes de sair. Outras, às vezes, permanecem sentadas para ouvir o poslúdio.

vindo e crescendo conosco

Se houver introdutores, eles saudarão você, e poderão levá-lo(a) a um banco. Se você desejar, eles irão responder às suas perguntas sobre o culto. Os bancos geralmente não são reservados nas igrejas anglicanas. No final do ofício, o celebrante saúda as pessoas à medida que passam pela porta de saída.

o que o clero veste?

Para dar mais beleza e festividade aos serviços, e para dignificar os ministérios especiais, o clero e outros ministros normalmente usam vestimentas. As vestes de coro geralmente consistem de uma batina (geralmente preta) e uma túnica branca e larga chamada sobrepeliz. O clero também pode usar batina e sobrepeliz, com um cachecol chamado tippet por cima e um capuz acadêmico.
Roupa de coro
Outra veste familiar é a alva, uma túnica branca com mangas que cobre o corpo do pescoço aos tornozelos. Sobre ela (ou sobre a sobrepeliz), ministros ordenados usam uma estola, uma tira colorida. Diáconos usam a estola sobre um dos ombros, sacerdotes e bispos sobre ambos os ombros.
Estola de sacerdote Estola de diácono
Na Santa Eucaristia, um bispo ou sacerdote normalmente usa uma casula (capa circular que cobre o corpo) sobre a alva e a estola. A veste correspondente do diácono tem mangas e é chamada dalmática. Bispos normalmente vestem um chapéu especial chamado mitra.
Casula
Estolas, casulas e dalmáticas, bem como as alfaias de altar, são geralmente feitos de tecidos decorados. Sua cor muda com as estações e dias santos do Ano Cristão. As cores mais frequentes são branco, vermelho, violeta e verde.

o ano cristão

A Igreja Anglicana segue o calendário tradicional cristão. A estação do Advento, durante a qual nos preparamos para o Natal e para a Segunda Vinda de Cristo, começa no domingo mais próximo a 30 de novembro. O Natal dura doze dias, depois dos quais celebramos a festa da Epifania (6 de janeiro).
A Quaresma, quarenta dias de preparação para a Páscoa, começa na Quarta-Feira de Cinzas. A estação da Páscoa dura cinquenta dias, terminando na festa de Pentecostes.
Durante esses períodos de tempo, as leituras bíblicas são escolhidas de acordo com cada estação. Durante o restante do ano – o tempo depois da Epifania e o longo tempo depois de Pentecostes (à exceção de alguns domingos especiais) – o Novo Testamento é lido sequencialmente de domingo a domingo. As lições do Velho Testamento correspondem em tema com uma das leituras do Novo Testamento.

você não ficará envergonhado(a)

Ao visitar uma igreja anglicana, você será respeitado(a) como nosso(a) convidado(a). Você não será apontado(a) de uma forma embaraçosa, nem requisitado(a) a ir à frente da congregação. Você adorará a Deus conosco.
Caso você queira saber mais sobre a Igreja Anglicana ou como se tornar anglicano, o(a) sacerdote irá prontamente responder às suas questões e sugerir os passos para se tornar membro.
-
Texto adaptado do artigo "What to expect at an Anglican Church", de Anglicans Online.

Conncet With Us